Doenças da obesidade

Doenças da obesidade e tratamento

Doenças comuns na obesidade – pelo menos uma dessas, todo obeso terá.

Doenças da obesidade

Nas últimas décadas, a obesidade se tornou um tema amplamente discutido em âmbito global, devido ao crescente número de portadores dessa condição e dos males que ela pode ocasionar.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, estima-se que uma em cada três pessoas esteja acima do peso no planeta, e as maiores causas do problema estão na má alimentação e na adoção de um estilo de vida sedentário.

Também divulgaram que desde 1980, os níveis de obesidade no mundo duplicaram.

Em 2008, 1,4 bilhões de adultos acima de 20 anos estavam acima do peso, sendo que desses, 200 milhões de homens e 300 milhões de mulheres eram obesos.

E os dados são ainda mais alarmantes, pois 65%¨da população mundial vive em países onde o sobrepeso e a obesidade matam mais do que condições relacionadas com o baixo peso.

Ainda temos o fato que 40 milhões de crianças abaixo da idade de 5 anos estavam com sobrepeso em 2011.

Atualmente, pesquisas e estudos realizados sobre essa questão apontam que as taxas de mortalidade entre os obesos são bem superiores às pessoas que estão em sua faixa de peso ideal.

As condições do mundo atual, superabundância de alimentos e tecnologias que favorecem o sedentarismo deram uma grande contribuição para essa verdadeira epidemia.

Isso acontece, pois o excesso de gordura no corpo humano tem o potencial de agravar problemas de saúde e gerar uma série de doenças físicas e psicológicas, como as listadas abaixo:

1. Hipertensão: Os indivíduos que sofrem de obesidade possuem maiores chances de terem seus vasos sanguíneos comprimidos em razão principalmente do consumo excessivo de alimentos que fazem mal à saúde. Essa compressão dos vasos é o que resulta na pressão alta.

2. Hipertrofia Ventricular: É uma doença cardíaca, ocasionada pelo aumento do músculo do coração. Essa patologia atinge aos obesos, porque o coração dessas pessoas precisa trabalhar mais do que deveria para sustentar seu peso e a estrutura corporal.

3. Apneia: É uma doença séria que gera paradas respiratórias involuntárias enquanto os indivíduos obesos estão dormindo.

Isso ocorre, pois essas pessoas possuem excessos de gordura nas áreas do pescoço e do tronco, o que dificulta a respiração e ocasiona um fechamento repentino da faringe.

4. Depressão: Portadores de obesidade possuem uma tendência mais elevada de desenvolverem um quadro depressivo em função de sua autoestima baixa que os torna inseguros em relação ao próprio corpo e atrapalham as relações sociais e pessoais.

5. Diabetes do tipo 2: Apesar da diabetes ser, em muitos casos, causada por fatores genéticos, a doença também afeta mais facilmente as pessoas que estão acima do peso.

Isso acontece porque o excesso de peso causa uma resistência do organismo à insulina, que é o hormônio responsável pela regulação dos níveis de glicose.

Sem que haja essa regulação, as chances de desenvolver a diabetes do tipo 2 crescem consideravelmente.

6. Colesterol elevadoÉ uma das principais causas de ataques cardíacos.

O tipo de colesterol que está envolvido no aumento deste risco é o LDL.

Quando seus níveis aumentam, o risco de doenças coronarianas sobe 20%.

E, novamente, perder peso ajuda a jogar estes níveis de LDL para baixo.

7. Câncer: Estar acima do peso aumenta as chances de desenvolver inúmeros tipos de câncer em 50%.

Mulheres obesas, por exemplo, têm risco aumentado de câncer de endométrio.

8. Infertilidade: Estar obeso pode causar mudanças nos níveis hormonais das mulheres, que podem resultar em insuficiência ovariana.

Mulheres acima do peso estão em risco mais elevado de ter problemas de infertilidade, assim como câncer de ovário.

Nosso organismo deve estar com um peso adequado para produzir a quantidade certa de hormônios e regular a ovulação e menstruação.

Para se ter uma ideia,veja as conclusões deste estudo:

Um índice de massa corporal elevado tem associação com subfertilidade ovulatória e infertilidade anovulatória; Mulheres acima do peso e obesas têm resultados piores quando submetidas a tratamentos de fertilidade, inclusive respondem de forma ruim à indução ovulatória com clomifeno e precisam de doses maiores de gonadrotrofinas para a indução da ovulação e superovulação;  o estímulo ovariano para a reprodução assistida produz menos folículos, resultando no desenvolvimento de menos óvulos; as taxas de fertilização são menores e a qualidade do embrião é pior em mulheres obesas, mesmo jovens;  em alguns estudos, as taxas de gravidez são menores e há um risco aumentado de aborto espontâneo precoce.

e finalmente, a perda de peso regulariza os ciclos menstruais e aumenta a chance de ovulação espontânea e concepção, em mulheres previamente com sobrepeso ou obesas que eram anovulatórias.

E não pense que homens são imunes à infertilidade, pois homens obesos têm chance maior de desenvolver problemas de mobilidade e baixa contagem espermática.

9. Dor lombar: A obesidade é um dos fatores que mais contribuem para dores lombares e articulares.

O peso excessivo pode causar lesões nas partes mais vulneráveis da coluna, que carregam o peso corporal.

Quando essas partes precisam sustentar o peso excessivo, as chances de ter uma lesão espinhal ou dano estrutural aumentam.

Estar acima do peso também aumenta o risco de desenvolver osteoporose, dor lombar, artrite e osteoartrose.

10. Infecções de pele: Obesos e indivíduos acima do peso podem ter dobras na pele.

Essas dobras podem ficar irritadas pelo atrito e suor, o que em última análise leva a infecções de pele.

11. Úlceras:De acordo com estudo do National Institute of Health (NIH), a obesidade pode ser um fator contribuinte para o desenvolvimento de úlceras gástricas.

Estas ocorrem quando existe um desequilíbrio no estômago, com predomínio do conteúdo ácido secretado.

O risco é maior no caso dos homens.

12. Pedras na vesícula biliar:Estar muito acima do peso aumenta o risco de desenvolver pedras na vesícula, especialmente nas mulheres. Elas ocorrem quando o fígado elimina uma quantidade elevada de bile, a qual é armazenada na vesícula biliar.

A bile tem a função de ajudar a dissolver as gorduras, e uma dieta rica em gorduras aumenta a sua produção.

As pedras na vesícula são mais comuns em mulheres mais velhas, e com história familiar da doença.

Tratamento

O modo mais simples e natural de combater a obesidade é através da adoção de práticas saudáveis que incluem a ingestão de alimentos benéficos à saúde e a realização de exercícios físicos.

Em alguns casos, os médicos podem solicitar o uso de remédios, porém, estes devem ser utilizados temporariamente e apenas sob recomendação médica, afinal os efeitos colaterais são graves como, por exemplo, o aumento da pressão sanguínea, insônia e arritmia cardíacas.

Vale ressaltar que a obesidade é algo totalmente prevenível, através de práticas de exercícios físicos e alimentação saudável.

Se esse artigo foi útil para você, deixe seu comentário e compartilhe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *