viver-com-diabetes

Viver com diabetes

viver-com-diabetes

Por mais que o Diabetes seja uma doença crônica, com os cuidados necessários é possível viver com Diabetes tranquilamente.

É claro que é necessário se planejar bem e adaptar a rotina a uma nova alimentação e grade de exercícios físicos.

Apesar de muitas pessoas precisarem se submeter a cirurgias para amputar membros ou ao longo do tempo irem perdendo a visão, essas consequências só aparecem para pessoas que não trataram direito da doença no período em que deveriam ter feito isso.

Encarando o Diabetes com outro olhar

viver-com-diabetes

É compreensível que nem todas as pessoas saibam lidar direito com isso, principalmente os mais jovens. Quando a pessoa se vê obrigada a se furar com uma agulha todos os dias para tomar insulina, os nervos podem ir a mil e a pessoa pode não saber administrar isso direito.

Hoje em dia, há vários blogs na internet que dão dicas de como ministrar corretamente a doença e de como conviver com ela sem criar muitos fantasmas na cabeça por conta disso.

Muita gente acaba fazendo uma grande tempestade em copo d’água, dizendo que a pessoa nunca mais poderá comer doces ou determinados alimentos.

Na verdade, não é bem assim. A pessoa pode comer doces, mas em quantidade bem limitada, contanto que faça a dosagem da glicemia e tome as doses corretas de insulina para compensar a glicose do alimento consumido.

Claro que o ideal é que a pessoa não coma, mas ela não precisa passar o resto da vida sem comer.

Ao receber o diagnóstico da doença, a pessoa pode ficar frustrada, com medo ou com raiva de tudo. Mas não há o que fazer a não ser aceitar a nova condição. No final das contas, é melhor tomar uma injeção todos os dias do que perder um membro ou até mesmo a visão!

E a partir do momento em que o diagnóstico for feito, é preciso começar a mudar a rotina instantaneamente. Se há uma característica interessante do ser humano é a sua capacidade de adaptação a qualquer condição. Então, mesmo que no início seja difícil, você irá conseguir se adaptar bem ao novo estilo de vida. Só é preciso ter um pouco de paciência no início!

E, se você pensar bem, mesmo sendo diagnosticado com Diabetes, a diferença não é muito grande da rotina que uma pessoa saudável leva.

Pense bem: uma pessoa que não possui a doença e leva um estilo de vida saudável praticamente não come industrializados, come poucos doces, possui uma dieta equilibrada e está sempre praticando exercícios físicos.

Então, no final das contas, percebe como a sua rotina não seria tão diferente assim? É tudo uma questão de aceitação e adaptação!

Então, caso você seja diagnosticado com Diabetes, seja do tipo 1 ou do tipo 2, lembre-se que quanto mais rápido você aceitar essa mudança na sua vida mais simples as coisas ficarão.

Tenha sempre seus exames em dia e um nutricionista e um endocrinologista a seu dispor. Isso é muito importante, independente de qual seja o tipo ou qual seja a fase da doença.

Mas o físico não é o único afetado. Muitas pessoas acabam tendo o psicológico afetado pela mudança drástica que chega. Se isso acontecer, não é vergonha alguma procurar ajuda de um profissional, como um psicólogo. Na verdade, isso é bastante comum. Muitas pessoas recém-diagnosticadas com a doença procuram esse tipo de ajuda.

Outra dica legal é para que procure outras pessoas portadoras de Diabetes. É interessante que você converse com elas e veja como elas encaram esse novo modo de vida, e como superaram as dificuldades iniciais. Nessas horas, procurar esse tipo de apoio pode ser a melhor solução.

Eu preciso me exercitar?

viver-com-diabetes

Sim, sim e sim! A falta de exercícios físicos é um dos principais motivos para que tantos portadores sofram consequências mais graves, ou mesmo para que pessoas passem a desenvolver a doença.

É importante praticar qualquer tipo de atividade física, mas de preferência aquelas que movimentam grande parte da musculatura corporal, como corrida, natação, etc.

Além de controlar o peso (o que é crucial, já que seu excesso pode causar inflamações perigosas), é possível controlar o modo como a glicose é utilizada no corpo. O ideal é que a pessoa se exercite todos os dias, mas se não for possível, que seja pelo menos 5 vezes por semana, com um mínimo de 40 minutos de prática.

Muitos resultados de pesquisas apontaram uma melhoria significativa depois que portadores de Diabetes começaram a praticar exercícios físicos com mais regularidade.

Como a glicose é a fonte da nossa energia, a musculatura necessita dela para funcionar durante os exercícios. Quanto mais forte é um músculo, de mais glicose ele precisa. Por isso, ao praticar exercícios, a pessoa se torna capaz de enviar mais glicose para eles, controlando assim a quantidade dela no sangue.

Não se esqueça de fazer um bom aquecimento antes de começar os exercícios e o alongamento no final deles. Não é muito interessante fazer alongamentos antes, já que isso pode comprometer a eficácia da musculatura durante os exercícios.

Antes de começar a praticar alguma atividade física ou esporte, é importante passar por uma consulta médica e fazer uma avaliação física completa. Isso porque pessoas portadoras de Diabetes são mais propensas a desenvolverem algum problema cardíaco do que as pessoas não portadoras.

Se durante uma prática você machucar os pés, não os force ainda mais com alongamentos ou exercícios. Caso sofra algum corte, espere até a cicatrização total, e se for o caso, procure por um médico.

Não se esqueça de que mudanças drásticas na rotina podem causar ansiedade e depressão. Você não é obrigado a cortar tudo da noite para o dia e chegar a ficar exausto de tanto praticar exercícios.

Para que você consiga se adaptar bem, vá mudando sua rotina aos poucos, regulando bem a alimentação para que não tenha problemas futuros. Em pouco tempo, você sentirá como se estivesse vivendo uma vida normalmente, como antes, porém agora com alguns cuidados a mais.

Se esse artigo foi útil para você, deixe seu comentário e compartilhe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário sobre “Viver com diabetes

  1. This ring on a won87&#a21m;s finger is actually a sign of her acceptance and willingness to marry a specific particular person. Generally are given by men to ladies. Nevertheless, the other way about also is gaining reputation within the US. In some countries like Finland, Norway and so forth both parties committed to marriage wear these rings.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *